A Igreja celebra no próximo domingo (08), a grande festa de Pentecostes, que marca o derramamento do Espírito Santo sobre os apóstolos que estavam reunidos no Cenáculo. Mas, se Jesus é nosso Salvador, por que precisou ser também enviado o Espírito Santo?

“Ajuda-nos o papa Leão XIII, quando diz: “A missão divina que Jesus Cristo recebeu do Pai e cumpriu com toda fidelidade em bem do gênero humano, tem por fim derradeiro a beatitude dos homens na eterna glória, e por finalidade próxima, no decurso da vida presente, a posse e conservação da vida da graça divina, a desabrochar um dia nos encantos da vida celeste. (…) Não quis Ele, todavia, por motivos imperscrutáveis, levar a cabo pessoalmente esta obra sobre a terra, senão que por sua vez delegou ao Espírito Santo a realização definitiva da incumbência recebida do Pai” (Dinum Illud Munus, 1 e 2).

Completar a obra de Cristo: eis em síntese a razão última pela qual deveria também o Espírito vir em missão entre nós. Ou seja, dedicar-se a buscar com a pessoa do Espírito Santo um relacionamento tanto quanto nos é possível, hoje – após Pentecostes –, não é um mero devocionismo, dispensável e opcional – mas constitui a essência fundamental de toda a nossa fé cristã, uma vez que somente o Espírito Santo “nos revela Jesus”, “convence-nos do pecado”, “nos dá testemunho de Jesus”, “capacita-nos a testemunhá-Lo”, e “nos recorda tudo o que Ele disse”… (cf Jo 14;15;16; At 1).

(…) É apropriado, pois, dizer que, enquanto missão divina atual, é o Espírito Santo quem está, neste momento, “entrando incessantemente na história do mundo através do coração do homem”, levando à plenitude a salvação realizada pelo Senhor.

Convinha “que Jesus se fosse” (cf. Jo 16,7). Convinha que Ele – o Espírito –, viesse. Convém, pois, compreender melhor, esperar, celebrar e regozijar-se com a Trindade, na festa de Pentecostes… Pois ninguém vai ao Pai se não for por Jesus (cf. Jo 14,6); e “para estar em contato com Cristo é preciso primeiro ter sido tocado pelo Espírito Santo” (Catecismo da Igreja Católica, nº 683)” (Trecho retirado do livro Celebrando Pentecostes: Projeto de Avivamento da Espiritualidade de Pentecostes, de Reinaldo Beserra. Disponível na Editora RCCBRASIL).

Na certeza da necessária experiência profunda com o Espírito Santo, a presidente do Conselho Nacional, Katia Zavaris, junto com uma das pioneiras da RCC no mundo, Patti Mansfield, deixam uma mensagem a todos os carismáticos do Brasil para a Festa de Pentecostes: