Maria veio ontem, 02/03, ao Rebanhão. Afirmou que não perde um. Mora há oito anos em Brasília. É secretária do lar.

Iria trabalhar hoje, 03/03. Conversou com amiga e falou: “Bem que minha patroa podia me liberar para participar dos últimos dias do Rebanhão.”

Ontem, ao ouvir o testemunho do Wesley, da Cidade Estrutural, sentiu a vontade de seguir o mesmo exemplo.

Foi embora e, ao chegar em casa, recebeu uma ligação. O toque do celular é Filho do Céu. Atendeu com fé e confiança. Era a patroa, Perpétua (chamada carinhosamente de Betinha), avisando que iria liberá-la para participar do Rebanhão.

Como já estava em oração por essa intenção, prometeu que iria sair gritando nas ruas: “Eu amo Jesus. Sou louca por Jesus!”.  Ao vir de ônibus a caminho do Rebanhão, repetia as mesmas frases dentro do coletivo, enquanto uma amiga rezava o terço..

Sua amiga lhe disse que deveria amar Jesus todos os dias e não só nesses momento de alegria. Maria respondeu que, com certeza, ama Jesus e é louca por Ele, sempre e todos os dias.

Flavia Ferrer
Ministério de Comunicação Social – RCC-DF