O imenso amor de Deus por cada um de nós foi o tema central da primeira pregação do 37º Vem Louvar, que teve início no sábado, 11 de dezembro, no Centro de Evangelização Renascidos em Pentecostes.

Segurando uma grande caixa vermelha, o pregador Anderson, do Grupo de Oração São Pio, na Paróquia Imaculado Coração de Maria, ParkWay, despertou a atenção dizendo que estava ali como um mensageiro, para entregar a todos um presente. Após chamar uma pessoa ao palco, escolhida entre os que pela primeira vez participam do evento, para receber o pacote em nome dos demais, a caixa foi aberta e o seu conteúdo revelado: uma Bíblia, um crucifixo e um cartaz onde estava escrito “… Porque eu te aprecio e te amo, palavras retiradas de Isaías” 43, 4.

“Corremos o risco de estarmos frente a um grande presente de Deus e não abrirmos a caixa”, disse Anderson. Isso pode acontecer, segundo ele, por não acreditarmos que Deus nos ama verdadeiramente, apesar de nossas falhas. É como andássemos com um guarda-chuva aberto, voltados somente para nossas preocupações. Ouvimos, muitas vezes, que Deus nos ama, mas no fundo de nosso coração ficamos presos na superficialidade e pensamos que, se Deus nos ama, porque existem doenças, sofrimentos e a morte?

Segundo Anderson, ficamos ligados no medo, no orgulho, na raiva e não conseguimos acreditar que Deus nos ama. “A finalidade desta pregação é fazer você fechar seu guarda-chuva e passar a acreditar, realmente, no amor de Deus”, enfatizou. Independentemente do que aconteça, Deus está sempre conosco. “Ele entregou sua vida por nós, para nos salvar”.

Para ele, os tempos difíceis que estamos vivendo são muito parecidos com os vividos no tempo de Isaías. “Estamos no primeiro Vem Louvar pós-exílio, que nos traz a esperança de uma nova terra. Eis que se inaugura um tempo novo, extraordinário”, disse.

Ele ressaltou que Deus criou a cada um de nós de maneira única e pessoal. E embora nossos pais sejam nossos co-criadores, Deus é quem nos deu o sopro da vida. “Ele nos desejou, nos moldou, nos criou”, ressaltou. Além disso, destacou Anderson, Deus colocou em cada ser humano todos os elementos necessários para que possa viver e expressar amor. “Temos condições de transformar em amor tudo aquilo que vivemos”, explicou.

De acordo com o pregador, se compreendêssemos isso, nossas histórias de vida, que podem incluir histórias de desamor, violência e abusos, se transformariam em mistérios de amor.

“Eu não me enxergava como filho de Deus”, revelou. “Não me achava digno devido a minha história, mas ela foi transformada em um altar onde louvo ao Senhor.”

 

Fátima Schenini
Ministério de Comunicação Social – RCCDF