O Papa Francisco, na oração dominical do Angelus deste domingo (31), lembrou o Evangelho de Mateus, no ponto crucial em que Jesus, depois de ter verificado que Pedro e os outros 11 tinham acreditado nEle como Messias e Filho de Deus, “começou a mostrar a seus discípulos que era necessário que fosse a Jerusalém e sofresse muito…, que fosse morto e ressurgisse ao terceiro dia” (16,21).
Sobre esse ponto, tanto o Santo Padre como a liturgia deste domingo (31), insistem que “também o apóstolo Paulo, escrevendo aos cristãos de Roma, diz a eles: ‘Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos, renovando a vossa mente, a fim de poderdes discernir qual é a vontade de Deus’” (Rm 12,2).
Papa Francisco: “De fato, nós, cristãos, vivemos em um mundo totalmente integrado na realidade social e cultural do nosso tempo, e é certo assim; mas isso traz o risco de nos transformarmos em ‘mundanos’, que ‘o sal perca o sabor’, como diria Jesus (Mt 5,13), isto é, que o cristão se ‘modere’, perca a carga da novidade que lhe vem do Senhor e do Espírito Santo. Entretanto, deveria ser o contrário: quando nos cristãos permanece viva a força do Evangelho, ela pode transformar “os critérios de juízo, os valores determinantes, os puntos de interesse, as linhas de pensamento, as fontes inspiradoras e os modelos de vida” (Paulo VI, Esort. ap. Evangelli nuntiandi, 19).”

Papa Francisco usou a imagem do vinho e da água para ilustrar os cristãos e as pessoas mundanas.
Papa Francisco: “Por isso, é necessário se renovar continuamente, atingindo a seiva do Evangelho. E, como se pode fazer isso na prática? Antes de mais nada, lendo e meditando o Evangelho todos os dias, para que a palavra de Jesus esteja sempre presente na nossa vida; além disso, participando da missa dominical, onde encontramos o Senhor na comunidade, escutando a sua Palavra e recebendo a Eucaristia que nos une a Ele e entre nós; e, ainda, são muito importantes para a renovação espiritual, os dias de retiro e de exercícios espirituais.”
O Santo Padre também nos chamou para a renovação constante com a Palavra de Deus:

Papa Francisco: “Evangelho, Eucaristia, oração: graças a esses dons do Senhor, podemos nos conformar não ao mundo, mas a Cristo, e segui-lo sobre sua estrada, a estrada do ‘perder a própria vida’ para reencontrá-la (v.25). ‘Perdê-la’ no sentido de doá-la, oferecê-la por amor e no amor – e isso, quer dizer, o sacrifício, a cruz – para recebê-la novamente purificada, livre do egoísmo e da dívida da morte, cheia de eternidade.”

Fonte: News.va