Nesse fim de semana, o Ginásio Nilson Nelson foi palco da alegria e da misericórdia de Deus.   

Celebrando 31 anos de evangelização, o Vem Louvar cumpriu mais uma missão. Acolheu milhares de fiéis em dois dias de oração, adoração e louvor. O encontro tornou-se ainda mais especial com a abertura da Porta Santa em Roma, na semana do encontro; e no segundo dia do evento, a abertura da Porta da Misericórdia aconteceu na Catedral Metropolitana de Brasília.

Dom_SergioPara selar a missão, dom Sérgio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), celebrou a Santa Missa de encerramento do Vem Louvar. Ele agradeceu a presença dos fiéis, à imprensa e toda equipe de trabalho. “Meus queridos irmãos e irmãs, reunidos no Nilson Nelson, irmãos reunidos a nós pelas rádios que transmitiram essa eucaristia: Nova Aliança, Canção Nova, rádio Maria, Renascidos em Pentecostes, esse é momento da graça de Deus, de alegria, de louvor. Bendizemos bem a Deus pela sua misericórdia aqui manifestada durante esse Vem Louvar”.

Em sua homilia, o bispo destacou a alegria, palavra confirmada na primeira leitura. “Ouvimos a Palavra de Deus que nos convida à alegria. Como bem sabemos, este terceiro domingo do tempo do Advento, se chama Tempo da Alegria, por causa daquela Palavra que São Paulo diz: ‘Alegrai-vos no Senhor. Alegrai-vos sempre no Senhor’. Esta Palavra de Deus tem dado o nome a esse terceiro domingo do Advento, chamado Gaudete em latim, que significa: domingo da alegria, do louvor a Deus. Por isso é uma feliz coincidência que esse Vem Louvar tenha acontecido justamente nesse domingo em que toda Igreja é convidada a se alegrar. Não é uma alegria qualquer. Como diz São Paulo e o profeta Sofonias, a razão desta alegria é  o Senhor que está perto. O Senhor está no meio de nós. E quem tem Deus tem a paz, quem tem Deus no seu coração tem a esperança, quem tem Deus na sua vida tem alegria”, enfatiza.

“Hoje é um motivo ainda maior, nos alegramos com toda Igreja, porque Deus é rico em misericórdia. Nós nos alegramos pelo Jubileu da Misericórdia, o Ano Santo, tempo de graça de Deus em que somos convidados, primeiro a acolher a misericórdia divina. Quem não fizer essa experiência de aceitar, de pedir, buscar e acolher a misericórdia de Deus, não será capaz de ser misericordioso com os outros, de oferecer aos irmãos a misericórdia que vem de Deus. Misericordiosos como o Pai é o grande lema do Ano da Misericórdia como bem sabemos. Mas não é um lema para ficar apenas em um momento e outro de reflexão ou de oração. É uma experiência a ser feita. Ter um coração misericordioso, olhar para o rosto misericordioso de Deus que é Jesus Cristo”, completou dom Sérgio.

Kédina A presidente da Renovação Carismática de Brasília, Kedina Rodrigues afirmou que o Vem Louvar foi uma grande benção. “É sempre uma expectativa, e a gente vai percebendo a mão de Deus agindo. Foi um Vem Louvar diferenciado porque é um tempo diferenciado, é um domingo diferenciado, a Igreja abriu as Portas da Misericórdia, tivemos a presença misericordiosa de Deus muito forte no meio de nós. Então, realmente foi um evento que teve um tema propicio para esse momento; Vem Louvar porque eterna é a sua misericórdia. Graças a Deus pudemos viver nesses dois dias de intensa oração, intensa presença de Deus e saímos do ginásio com o coração cheio de alegria e cheio de misericórdia” afirmou. Ela agradeceu também aos servos da RCC-DF que trabalharam para a realização do Vem Louvar. “As palavras são limitadas, mas o que mais a gente pode fazer é rezar um pelos outros e ser muito grato pela generosidade de cada um no seu serviço. Os servos trabalham muito. A todos vocês servos que se dedicam imensamente. Tenho ciência da dedicação de cada um dentro das suas limitações, desde o horário que precisam levantar até o horário que saem Deus vê tudo que fazemos. Tudo que é para honra e gloria do Senhor. Porque Ele merece o nosso melhor, o nosso esforço. Agradeço a todos os servos, mas dizendo que Deus merece”, finalizou.